quinta-feira, 8 de maio de 2014

Testemunho Christopher Duffley-Cego e Autista Legendado

A história do biscoito!!!




Paulinho acordou cedinho, pois estava disposto e animado para aproveitar bem aquele dia! O cheirinho gostoso que vinha da cozinha fez com que levantasse ainda mais rápido da cama. Quando sentou-se à mesa para tomar seu café da manhã viu que tinha uma travessa cheia de deliciosos biscoitos bem fresquinhos. A mamãe disse que era a surpresa do dia! Paulinho comeu vários biscoitos. Hum! Estavam tão gostosos!
Quando acabou o café da manhã, Paulinho abraçou a mamãe e falou:
- Mamãe, muito obrigado pelo biscoito delicioso!
Mas sua mãe respondeu:
- Não agradeça a mim. Eu não fiz o biscoito. Eu o comprei na padaria. Agradeça ao padeiro.
Paulinho não teve dúvidas. Ao passar pela padaria, falou:
- Sr. Padeiro, hoje de manhã mamãe me deu um biscoito gostoso. Eu agradeci a ela, mas ela me falou: “Não agradeça a mim; agradeça ao Padeiro”. Então, Sr. Padeiro, muito obrigado pelo biscoito gostoso.
O padeiro, Sr. Manuel, sorriu e disse:
- Não agradeça a mim, menino. Eu só ajudei um pouco, assando o biscoito. Agradeça ao Fazendeiro que plantou o trigo que dá a farinha que eu uso para fazer o biscoito.
Paulinho foi até à fazenda. Encontrou o Fazendeiro trabalhando e lhe falou:
- Sr. Fazendeiro, hoje de manhã a minha mãe me deu um biscoito gostoso. Eu agradeci a ela, mas ela me disse: “Agradeça ao Padeiro”. Eu agradeci ao Padeiro, mas ele me disse: “Não agradeça a mim, agradeça ao Fazendeiro”. Portanto, Sr. Fazendeiro, muito obrigado pelo biscoito gostoso.
Acontece que o Fazendeiro respondeu:
- Sabe, garoto, eu só ajudei um pouco, plantando, colhendo e moendo o Trigo. Por isso não agradeça a mim, agradeça ao Trigo que dá a farinha que o padeiro usa pra fazer o biscoito.
O menino foi até à plantação de trigo. Estava toda amarelinha. Paulinho falou:
- Sr. Trigo, hoje de manhã minha mãe me deu um biscoito gostoso. Eu agradeci a ela, mas ela me disse: “Agradeça ao padeiro”. Eu agradeci ao padeiro, mas ele me disse: “Agradeça ao fazendeiro”. Eu agradeci ao fazendeiro, mas ele também me disse: “Não agradeça a mim, agradeça ao Trigo, que dá a boa farinha”. Portanto, Sr. Trigo, muito obrigado pelo biscoito gostoso.
O Trigo balançou ao vento e falou:
- Não agradeça a mim também. Agradeça à Chuva que molhou a terra e me fez crescer.
Paulinho saiu à procura da Dona Chuva. Finalmente a encontrou e disse:
- Dona Chuva, hoje de manhã mamãe me deu um biscoito gostoso. Eu agradeci a ela, mas ela falou: “Não agradeça a mim, agradeça ao Padeiro”. Eu agradeci ao Padeiro, mas ele disse: “Não agradeça a mim, agradeça ao Fazendeiro”. Eu agradeci ao Fazendeiro, mas ele me disse: “Não agradeça a mim, agradeça ao Trigo”. Eu agradeci também ao Trigo, mas ele me falou: “Não agradeça a mim, agradeça à Chuva”. Portanto, Dona Chuva, muito obrigado pelo biscoito gostoso.
A chuva riu e falou:
- Eu só ajudei um pouco também. Agradeça ao Sol, que deu força para terra produzir o Trigo.
Quando a Chuva se foi e o Sol tornou a brilhar, o menino gritou:
- Sr. Sol, hoje de manhã mamãe me deu um biscoito gostoso, eu agradeci a ela , mas ela falou:  ”Não agradeça a mim, agradeça ao Padeiro”. Eu agradeci ao Padeiro, mas ele disse: “Não agradeça a mim, agradeça ao Fazendeiro”. Eu agradeci ao Fazendeiro, mas ele me disse: “Não agradeça a mim, agradeça ao Trigo”. Eu agradeci também ao Trigo, mas ele me falou: “Não agradeça a mim, agradeça à Chuva”. Eu agradeci à Chuva, e ela me respondeu: “Não agradeça a mim, agradeça ao Sol”. Portanto, Sr. Sol, muito obrigado pelo biscoito gostoso.
O sol, todo sorridente, falou grosso e forte:
- Não agradeça a mim, menino. Agradeça a Deus, que fez a terra, que mandou a Chuva, que me fez brilhar para que o Trigo pudesse crescer. Foi Ele quem deu força ao Fazendeiro para plantar e colher o Trigo. Foi Ele quem deu ao Padeiro sabedoria para fazer um biscoito tão gostoso! Foi Ele quem deu saúde e força a seus pais para trabalharem e ganharem o dinheiro com que sua mãe comprou o biscoito gostoso…
Ah! Paulinho descobriu o segredo do biscoito! Correu para o seu quarto, ajoelhou-se ao lado da cama e orou:
- Papai do Céu, muito obrigado pelo biscoito gostoso que comi hoje de manhã. Muito obrigado por todas as coisas boas que o Senhor me dá. Em nome de Jesus. Amém.
E vocês, Bonitinhos, já agradeceram a Deus pelas coisas que Ele lhes dá todos os dias? Que tal fazer isso agora? Fechem seus olhinhos e falem com Ele!